Cuiabá MT, 06 de Agosto de 2020 - São
 

Cidade
  Mato Grosso
  Brasil
  Sociaedade
  Curiosidade
  Polícia
  Política
  Justiça
  Variedades
  Esporte
  Coluna
  Opinião
  Artigo

Newsletter
Nome:
<

Email:
<
<
<
<
<
<
<

Parcerias
<
<
<
<
<
<
<
<
<

Denúncias
<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

  Wilmar Rocha chamou Ronaldo Caiado de traidor, agora se aproxima. Entenda.  
  22/04/2019 - 14:45  
  Há mais de dez anos, exatamente em 2006, Wilmar Rocha chamou Ronaldo Caiado de “traidor,” “de enganador e de não honrar a palavra. 
jornalargumento

 Há mais de dez anos, exatamente em 2006, Wilmar Rocha chamou Ronaldo Caiado de “traidor,” “de enganador e de não honrar a palavra.” Naquele mesmo ano, Caiado passou a ser tratado por Wilmar como Inimigo e não adversário político.   O motivo não era o fato de Caiado ser centralizador ou  dono do PFL, como foi divulgado.

O Jornal Argumento apurou, ainda em 2006,  através de fontes e de conversa com Wilmar Rocha, e porque do  ódio que surgiu naquele ano.

Na eleição de 2006, devido a fragilidade do PFL, Wilmar Rocha e Ronaldo Caiado fizeram um espécie de parceria. Acordou-se naquela eleição que Wilmar Rocha levaria Ronaldo Caiado para os municípios do norte do estado que ele representa  e pediu aos prefeitos e eleitores que votassem nos dois.

Wilmar cumpriu a promessa, já Ronaldo Caiado não honrou o trato e deixou Wilmar Rocha enfraquecido, depois de pedir votos para Caiado “dentro da casa dele.” Irritado com a falta de palavra e compromisso de Caiado, outro fato potencializou a ira de Wilmar.


Na eleição de 2006, apenas Ronaldo Caiado foi eleito pelo PFL para ocupar uma cadeira na Câmara Federal. Ronaldo Caiado, recebeu quase 80 mil votos, número muito inferior ao necessário para eleição direta.  Assim,  Caiado elegeu-se graças ao coeficiente eleitoral, ou seja, a soma de todos os votos do partido, inclusive os mais de 73 mil votos de Wilmar Rocha.

Porém como diz Paulo Maluff, “Na política vergonha é perder”, Wilmar,  que foi o primeiro suplente na chapa derrotada  de Marconi Perillo, já dizia em  abril do 2018,  que se sentiu muito bem ao retomar o diálogo com o senador Ronaldo Caiado (DEM), com quem não conversava há aproximadamente dez anos.
“Ronaldo Caiado dizia que queria conversar comigo e eu disse “Enquanto eu for secretário não quero falar”, para não ser deselegante. Depois falei “Espera o dia 7 de abril, espera passar o prazo de filiação”. Então, foi o retorno de um diálogo. Não houve nenhuma definição, nenhum compromisso, nada. É de você continuar conversar, é desobstruir os canais de comunicação. E sabe que isso me fez bem? Se não tem problema pessoal, é ruim interromper diálogo com qualquer pessoa. É ruim. Eu achei bom retomar esse diálogo com ele”, disse.
 
Doeu nos ouvidos ouvir Wilmar Rocha dizer que “Se não tem problema pessoal, é ruim interromper diálogo com qualquer pessoa. É ruim.” 
A pergunta que fica é: o que Wilmar sentia por Caiado nestes mais de 10 anos?  Porque a aproximação a Caiado não aconteceu antes? Estaria Wilmar, querendo uma pasta do governo Caiado, esquecendo “a traição de Caiado em 2006”?   

Pode até ser um ato de elegância de Wilmar, muito admirado pela postura republicana,  mas se for para manter-se no poder, será um dos últimos políticos coerentes a perder esta imagem. 

O Jornal Argumento informou com exclusividade que em 2014 Wilmar estava se aproximando de Iris, pelo fato de não ter mais espaço na base de Marconi Perilo. 

Abaixo o link da matéria postada em abril de 2014. A conferir. 

http://www.jornalargumento.com.br/2018/06/conforme-o-jornal-argumento-antecipou.html


Fonte: Do jornalargumento



Compartilhe essa notícia



Comentários ( 0 )

Notícia sem comentários.
Faça seu comentário agora.
 

Site Lucio Dia e Noiter já teve 1431262 Acessos
Sua empresa ainda não tem site? clique aqui
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<