Cuiabá MT, 20 de Abril de 2018 - São
 

Cidade
  Mato Grosso
  Brasil
  Sociaedade
  Curiosidade
  Polícia
  Política
  Justiça
  Variedades
  Esporte
  Coluna
  Opinião
  Artigo

Newsletter
Nome:
<

Email:
<
<
<
<
<
<
<

Parcerias
<
<
<
<
<
<
<
<
<

Denúncias
<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

  ROUBALHEIRA SEM LIMITE NO BRASIL. VIGIEM A TAÇA DA COPA SENÃO OS “RATOS” NHAPAM!  
  11/06/2014 - 16:08  
 Virgem Santa! Não custa alertar à segurança que cuida do rico troféu de ouro que se destina a premiar a seleção vencedora da Copa do Mundo de Futebol de 2014.  

      Virgem Santa! Não custa alertar a segurança que cuida do rico troféu de ouro que se destina a premiar a seleção vencedora da Copa do Mundo de Futebol de 2014.

A taça é de ouro maciço, não é? Então, por suposto custa uma fortuna, não é verdade? Pois bem, com a notável esperteza com que certos indivíduos nhapam os bens do Estado e do povo de Mato Grosso, não custa esses cabras de peia arrumar um jeito de furtar também o rico troféu onde quer que o mesmo esteja guardado. Eles encontram. São espertos e ótimos especialistas em mutretas. Todo cuidado ainda é pouco!

Mais por que estamos dizendo isso? Vou explicar: é que diante do que vem sendo noticiados por todos os órgãos da imprensa escrita, falada e televisionada todos os dias, a respeito de homens públicos, que estão no comando dos mais diferentes segmentos dos poderes republicanos, furtam dia e noite tudo que podem, do sofrido povo brasileiro, e mais especialmente dos mato-grossenses. É coisa nunca antes vista no nosso rico e pobre Brasil.

         Rico de tudo que o Criador nos legou a partir da exuberante natureza, até as incontáveis riquezas existentes no subsolo pátrio. Há séculos tudo isso, toda essa riqueza, vem sendo dilapidada, desde o descobrimento do Brasil, pela nojenta pirataria que aqui aportou e na seqüência subtraiu tudo que podia.

A herança que esse lixo humano (será que são realmente humanos) nos deixou, foi a prática da trapaça, da safadeza, da desonestidade que se verifica de forma acentuada nos nossos dias.

É impressionante o nível da roubalheira que grande parte dos dirigentes dessa Nação pratica contra o patrimônio público, o que significa dizer contra o povo, gente que trabalha duro para poder pagar os tributos mais aviltantes do Planeta. 

Não vamos nominar os vigaristas que de um dia para outro ficam milionários à custa do suor derramado do rosto dos trabalhadores. As ruas de Cuiabá e de muitas cidades estão cheias de automóveis de luxo, entre os quais, Ferraris, e outros exemplares de igual valor, tudo adquirido com dinheiro surrupiado com esquemas inconfessáveis, fruto da fértil imaginação da ladroagem que a Polícia Federal coloca atrás das grades e a nossa bondosa Justiça devolve às ruas. Isso mostra e nos da a dimensão da demonstração da riqueza dos embusteiros de plantão, que se locupletam no exercício dos altos cargos que ocupam.

O QUE FAZER?

Seria necessário construir várias penitenciários pelo Brasil afora, e em Mato Grosso onde a roubalheira se acentua com vigor incalculável, teríamos que edificar muros em concreto, com alturas indescritíveis para encerrar no seu interior alguns dos mais notáveis salteadores de que se tem noticia na nossa história.  

Encerrá-los na papuda é papo furado! Não passa de show pirotécnico. De lá eles saem com enorme facilidade, pois as nossas leis facultam a possibilidade da clara impunidade que se verifica diuturnamente. Isso mostra que o ditado que assegura que no Brasil só fica preso quem não tem dinheiro para contratar bons advogados, vai além quando assegura que cadeia aqui e feita para prender “pobre, preto e puta”! Pois não é?  

Tem muita gente grossa, pessoas de peso na política exercendo altos cargos da chamada república, que já deveriam estar fora de circulação, presos, e com tornozelheiras sendo vigiados, monitorados por câmeras dia e noite, Tais indivíduos representam um perigo iminente para o patrimônio público, ou melhor, para o povo, já que é a massa de trabalhadores que sustenta o funcionamento do Estado.

Observa-se que não há a contrapartida que deveria existir, ou seja, investimento dos recursos recolhidos à míngua do bolso do povo, em educação, saúde, moradia, e segurança. Nada disso é feito como se pode facilmente constatar.

Estamos quase às vésperas das eleições gerais no Brasil, está chegada a hora do povo reverter esse quadro de miserabilidade moral, embutida no caráter carcomido e nauseabundo (são os sepulcros caiados) de grande parte daqueles que governam os destinos do País, quer dizer do povo brasileiro.

         É agora ou nunca! A escolha está nas mãos dos eleitores. Ou votamos em homens e mulheres decentes para nos governar, ou podemos dizer que essa nossa, e as futuras gerações que estão por vir, estarão fadadas a continuar assistindo à promiscuidade moral em que vivemos no momento

É imperioso que a mudança seja feita agora. Amanhã será tarde demais. Certamente!

 

Ivaldo Lúcio é jornalista em Cuiabá.   

 



Fonte: Ivaldo Lúcio



Compartilhe essa notícia



Comentários ( 0 )

Notícia sem comentários.
Faça seu comentário agora.
 

Site Lucio Dia e Noiter já teve 916113 Acessos
Sua empresa ainda não tem site? clique aqui
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<