Cuiabá MT, 26 de Junho de 2017 - São
 

Cidade
  Mato Grosso
  Brasil
  Sociaedade
  Curiosidade
  Polícia
  Política
  Justiça
  Variedades
  Esporte
  Coluna
  Opinião
  Artigo

Newsletter
Nome:
<

Email:
<
<
<
<
<
<
<

Parcerias
<
<
<
<
<
<
<
<
<

Denúncias
<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

  MUSICA EM MINHA OPINIÃO É A EXCENCIA DAS ARTES!  
  22/11/2013 - 10:51  
 LIDE: O que desejo deixar claro é que dentre muitos outros artistas mato-grossense da área musical, é que Julio e Marcia Coutinho são aqueles que se mostram mais harmoniosos nas suas apresentações, eles dosam de forma genial volume e suingue com a doçura que a audição do seu público gosta de sentir. É isso que faz dos dois o que existe de melhor na musica que se ouve em Cuiabá. Pois não é? 
MARYA SILVA

     Pois bem, se é assim devemos comentar o estilo musical dos artistas com quem convivemos no dia a dia nos espaços que ocupamos. Essa semana mais precisamente na noite de sexta feira resolveu dar um bordejo pela cidade verde que, aliás, não é mais tão verde como eram anos atrás. Cuiabá mudou muito nos últimos anos, quando as baladas noturnas ainda se realizavam no saiona rã do Nazi, no balneário do João Balão, no buchicho do Vicente, no Bar do Beto, ou nos chamados clubes sociais onde a aristocracia cuiabana frequentava regularmente. Com o crescimento vertiginoso da cidade muitos bares, boates, e outras casas noturnas foram sendo abertas, nos mais diferentes pontos da agora metrópole,  e o publico crescente foi definido sua preferencia por essa ou aquela casa.  Como iniciei dizendo na última quinta feira a noite, sai eu e minha companheira para saborear um medalhão de frango ali nas proximidades da feirinha da mandioca, mas a garoa (coisa rara por essas paragens) não permitiu que a rapaziada colocasse as mesas na rua e em decorrência desse fato, seguimos em frente e fomos parar na praça Santos Dumont, ali perto do Getúlio onde se reúnem a turma da grana com seus carrões suas motos lustrosas e potentes, numa clara e inequívoca demonstração de poder que no fundo não passa de pura bobagem. Como não fazemos parte desse mundão Vips que comentamos, paramos nosso modesto uno ao lado de outra condução da mesma família do nosso carrinho, e nos sentamos nas confortáveis cadeiras que minha amiga Marlene e sua simpática e bonita filha colocam para acomodar seus clientes que vão ali saborear o melhor cachorro quente da capital. Três Dogs reforçados e dois sucos de maracujá foram devorados de pronto, após um breve bate papo, debulhamos vinte reais e seguimos em frente na busca de um espaço para ouvir umas musiquinhas e encerrar o périplo noturno e depois ir pra casa colocar o corpo na horizontal para tirar uma merecida soneca até o dia amanhecer. Seguimos para o botequim do Dirceu e lá estavam se apresentando nada menos ou mais que o Maestro Júlio Coutinho com seu piano magico e sua amada Marcia cantando canções antológicas com sua maravilhosa voz afinadíssima e harmoniosa. É oportuno dizer que a apresentação de Júlio e Marcia Coutinho é sempre uma oportunidade impar para quem aprecia musica de qualidade interpretada com categoria e acompanhada por um musico fora de serie como é o caso do Júlio Coutinho. Os decibéis não ultrapassam o volume necessário àquela coisa que acaba incomodando quem assiste.      Parabéns ao maestro Júlio e Marcia Coutinho pela beleza da musica que vocês interpretam muitas vezes superando os chamados medalhões da musica brasileira, e parabéns também ao confrade Dirceu que sempre soube contratar os artistas que se apresentam no seu já famoso Botequim. Por falar em músicos fora de série, por onde andam Alceu e Ferrinho? Saudades. “Quando eu crescer gostaria de ser igual, ou quando nada parecido com vocês” Pois não é? 

Ivaldo Lúcio  é jornalista em Cuiabá.              



Fonte: MARYA SIVA



Compartilhe essa notícia



Comentários ( 0 )

Notícia sem comentários.
Faça seu comentário agora.
 

Site Lucio Dia e Noiter já teve 646465 Acessos
Sua empresa ainda não tem site? clique aqui
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<