Cuiabá MT, 20 de Agosto de 2017 - São
 

Cidade
  Mato Grosso
  Brasil
  Sociaedade
  Curiosidade
  Polícia
  Política
  Justiça
  Variedades
  Esporte
  Coluna
  Opinião
  Artigo

Newsletter
Nome:
<

Email:
<
<
<
<
<
<
<

Parcerias
<
<
<
<
<
<
<
<
<

Denúncias
<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

  CASALDÁLIGA "PEÃO" DO CAPITALISMO EM PRODUÇÃO CINEMATOGRÁFICA  
  31/07/2012 - 19:46  
 O pseudo-bispo Pedro, ensinando aos seus fiéis técnicas de guerrilha e espalhando o terrorismo rural ao longo do Araguaia 

Nem tão pouco mostrar o pseudo-bispo Pedro, ensinando aos seus fiéis técnicas de guerrilha e espalhando o terrorismo rural ao longo do Araguaia

Por Calixto Guimarães/ Correspondenete do Araguaia

 No final da conturbada década de sessenta do século passado chegava no Brasil, mais precisamente no Araguaia, o catalão Pedro Casaldáliga, sendo logo em seguida (1970) consagrado bispo da prelazia de São Félix do Araguaia, no estado de Mato Grosso. Enviado sob encomenda e para realizar uma missão antisoberana e completamente subversiva, Casaldáliga, o bispo próscrito do Vaticano e Lobo Mau do Araguaia, cravou fundo os seus dentes e lingua afiada contra o grandioso projeto do governo brasileiro em prol do desenvolvimento e integração da Amazônia ao territorio nacional. As rodovias Belém-Brasilia, a Transamazônica, a BRs-158, 163, 242, 364 e 080, miravam os seus traçados prometendo desvendar um Brasil novo e promissor com lavas e lavas de migrantes de todos os quadrantes do país, se instalando ao longo desses eixos com o total aporte financeiro da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia-SUDAM. Assim, foi possivel a abertura de centenas de projetos agropecuários que permitiram a colonização do chamado "Portal da Amazônia," pelos estados de Mato Grosso, Rodonia e Pará, unidades federativas, até então, completamente isoladas e sem nenhuma expressão socioeconômica.
Neste contexto desenvolvimentista, quando a nação preparava o seu embrião interior de renascimento e crescimento para se tornar no grande polo agropecuário da produção de alimentos e celeiro do mundo, através das iniciativas destemidas e heróicas de pioneiros e bandeirantes contemporâneos como foram; Ariosto da Riva, Noberto Schuantes, Armando Conde, Lúcio da Luz, Enio Pepino e tantos outros, que vieram trazendo a esperança de "Progresso" e de "Ordem" para um sertão bravio e inóspito dominado pelo mêdo do canibalismo tribal e selvagem, perpetuado pelos indígenas que na época habitavam as plagas de toda a região centro-norte, é que se observa coincidentemente, a chegada desse agourento e misterioso padre espião. Acomodando-se estratégicamente no coração do Brasil central, Pedro Casaldáliga, firmou suas trincheiras a serviço do capitalismo internacional. Atuando como um agente, ou melhor como diz o ditado popular,"um pau mandado" dos interêsses das multinacionais que na forma mais discreta possivel, usando e abusando de seu disfarce religioso enviaram a sua prelazia, milhares de dólares de diversas "Fundation" estrangeiras e até do Banco Mundial, (BIRD) para fomentar a politica do atraso e da pobreza por meio da retórica teológica de "libertação dos oprimidos do terceiro mundo." Demagogia socio-politica barata e recheada de neologismos comunista.
Certamente, o filmete que seus conterrâneos estão rodando sobre as suas aventuras quixotescas no Araguaia, não vai dizer muito sobre a motivação dos processos de expulsão do país e de suas intromissões em assuntos internos e atividades ilegais contra o governo brasileiro e nem tão pouco mostrar o pseudo-bispo Pedro, ensinando aos seus fiéis técnicas de guerrilha e espalhando o terrorismo rural ao longo do Araguaia, através de invasões de terras e articulações para jogar o povo contra a organização fundiária e os projetos de infraestrutura regional a exemplo da; Transbananal, rodovia que atravessa a Ilha do Bananal e a implantação da hidrovia Araguaia-Tocantins, obras de suma importância na logistica de escoamento da produção e no abastecimento da região. Enfim, venerado pelos esquerdiotas como sendo um arauto da libertação dos oprimidos, Casaldáliga, não passa de um agitador e semeador de conflitos. Um "peão" do capitalismo internacional, trabalhando contra a integração amazônica e a efetivação do competitivo pólo agropecuário do Araguaia. Tal versão está completamente fora do script.



Fonte: Calixto Guimarães/ Correspondenete do Araguaia



Compartilhe essa notícia



Comentários ( 0 )

Notícia sem comentários.
Faça seu comentário agora.
 

Site Lucio Dia e Noiter já teve 752484 Acessos
Sua empresa ainda não tem site? clique aqui
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<