Cuiabá MT, 05 de Dezembro de 2020 - São
 

Cidade
  Mato Grosso
  Brasil
  Sociaedade
  Curiosidade
  Polícia
  Política
  Justiça
  Variedades
  Esporte
  Coluna
  Opinião
  Artigo

Newsletter
Nome:
<

Email:
<
<
<
<
<
<
<

Parcerias
<
<
<
<
<
<
<
<
<

Denúncias
<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

  O INDICE DE VIOL NCIA … ALARMANTE FAZER O QUE? A RECEITA … O TRABALHO  
  14/12/2011 - 11:09  
 O INDICE DE VIOL NCIA … ALARMANTE FAZER O QUE? A RECEITA … O TRABALHO 

 

Em apenas em um pouco mais de uma década tudo tenha virado de cabeça pra baixo e a bucólica e pacata chamada cidade verde, tenha    se transformado num campo de guerra, onde o verde não mais existe e apenas o vermelho da sangue de inocentes vai tingindo as artérias de todos os bairros e regiões da agora metrópole em que se transformou Cuiabá com a chegada do chamado progresso.
          Com o alto É uma lastima que Cuiabá, antes uma cidade bucólica onde as famílias colocavam as cadeiras na calçada e ali passavam horas conversando descontraídas.
índice de desenvolvimento proporcionado por empreendedores vindos dos mais diferentes pontos do Brasil, também chegaram os maus feitores, os bandidos que alarmam a população e transforma todos em reféns. O medo toma conta da população e ninguém mais pode dizer que está seguro nem mesmo dentro de suas casas. 
          A guerra está deflagrada e o pior de tudo é que ninguém sabe onde estão os inimigos do outro lado da linha de fogo, só se sabe que eles estão misturados com a população que vai e vem no dia a dia no desempenho das suas obrigações seja de trabalho ou social, alguns apressados em ritmo acelerado, outros nem tanto, mas em linhas gerais todos preocupados com o bem estar de suas famílias.
          Enquanto aqueles que são os marginais sempre de plantão, buscam somente tirar proveito e levar vantagem em tudo, para tanto cometem todo tipo de desatino não se preocupam em provocar a desgraça dos que são escolhidos como suas vitimas.
          Não respeitam a lei, não possuem código de ética, e observa-se também que eles não têm medo de nada, desafiam a policia e por onde passam vai largando na esteira um rastro de sangue de estupros, furtos e roubos de toda natureza.
          A pergunta é a seguinte: o que fazer para debelar essa onde de terror que abala a população em geral? No inicio dessa semana uma senhora idosa trabalhadora se dirigia para cumprir mais um dia de trabalho como diarista e foi abordada por um bandido que lhe roubou os pertence e em seguida atirou na senhora que morreu no local.
          Que desgraça! O que poderia possuir na bolsa aquela pobre senhora para despertar o interesse daquele miserável assaltante que lhe tirou á vida de forma tão covarde, mesquinha, e banal?
           O maldito foi preso em seguida, e alegou para á policia no interrogatório que era dependente de drogas. E daí? O que tem o cidadão que presta, a população produtiva, a ver com os inúteis, ordinários, e vagabundos que dedicam suas miseráveis vidas ao consumo de drogas? Nada absolutamente! Agora pasmem todos. O lamentável de tudo isso é que somos nós os trabalhadores, que acaba pagando as despesas para cuidar em clinicas especializadas, dessa  corja que só serve para infernizar a vida da população, bem como dos seus próprios familiares, que também sofrem ás conseqüência por ter parentes desse tipo.
          Em minha opinião pessoal, imagino que recolher esse tipo de pessoa seja em clinicas especializadas em tratamento de dependentes químicos o que tais, é perda de tempo.
          Levá-los para a cadeia também não resolve nada, até porque na cadeia essa gente vai fazer curso de pós-graduação, doutorado, e mestrado, no crime.
           Porque não confiná-los em fazendas adquiridas pelo governo sob os cuidados das forças de segurança e colocá-los pra trabalhar na enxada, plantando limpando e colhendo as safras produzidas por eles para bancar seus próprios sustentos? Se isso não resolver inteiramente o problema de cada um tem outras opções. Por exemplo colocá-los para trabalhar na conservação de rodovias, estradas de ferro, e em obras do governo todos muito bem vigiados, e de preferência peados um aos outros para não facilitar a fuga de alguém mais criativo em termos de esperteza. Ai aposto todas as fichas se alguém vai teimar em continuar usando drogas e matando gente pelo puro prazer de matar. Alegar que matou porque é usuário de entorpecente é pura sacanagem!  A sugestão está dada. Epa! Já ia esquecendo de dizer: a turma que defende os tais direitos humanos, provavelmente vai chiar com nossa sugestão.
          Que tal mandar esses piedosos defensores do mal feito ir para o trecho cuidar do rancho para os seus queridinhos não sofrer como sofrem aqueles que perderam seus entes queridos pela ação nefasta de tais vermes? Se não houver consumidor de drogas por certo não haverá traficantes, essa é a lei da oferta e da procura que regula todos os segmentos do mercado. Pena de morte pra traficante ou consumidor não resolve, trabalho forçado sim! Pois não?       

                                               



Fonte: luciodiaenoite



Compartilhe essa notícia



Comentários ( 0 )

Notícia sem comentários.
Faça seu comentário agora.
 

Site Lucio Dia e Noiter já teve 1548463 Acessos
Sua empresa ainda não tem site? clique aqui
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<