Cuiabá MT, 26 de Junho de 2017 - São
 

Cidade
  Mato Grosso
  Brasil
  Sociaedade
  Curiosidade
  Polícia
  Política
  Justiça
  Variedades
  Esporte
  Coluna
  Opinião
  Artigo

Newsletter
Nome:
<

Email:
<
<
<
<
<
<
<

Parcerias
<
<
<
<
<
<
<
<
<

Denúncias
<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

<
<
<
<
<
<
<
<

  A escola que temos e a escola que queremos  
  05/12/2011 - 11:00  
 Temos, uma escola menos formal do que nos tempos antigos, isso claramente retratado nas metodologias adotadas como parâmetros de aprendizagem, porém ainda tímida, incapaz de assumir o seu primordial papel, o de criar seres capazes de pensar por si só.  

A escola que temos e a escola que queremos

Por IANAI FERNANDA LEQUE DE ALMEIDA

PEDAGOGA, ESPECIALISTA EM POLÍTICAS EDUCACIONAIS E PEDAGOGIA EMPRESARIAL

 Temos, uma escola menos formal do que nos tempos antigos, isso claramente retratado nas metodologias adotadas como parâmetros de aprendizagem, porém ainda tímida, incapaz de assumir o seu primordial papel, o de criar seres capazes de pensar por si só.

 Nossas escolas ainda são preconceituosas a ponto de acreditar que o aluno, por ser um ser com pouca idade cronológica (isso no caso da educação regular), é incapaz de assumir um papel de responsabilidade e opinião dentro de uma escola ou sala de aula.

 Sendo capazes ainda de impor regras e conceitos preestabelecidos por outros homens que poderiam até funcionar em suas épocas, mais que hoje se tornam ultrapassadas perante os olhos de seus participantes, ou por terem acessos ilimitados a informação ou por fazerem parte de um gigantesco universo de mudanças e possibilidades.

 Temos uma escola onde ainda manda quem pode e obedece quem tem juízo, estabelecendo assim de maneira bem pouco flexível o lugar do aluno e do professor, não havendo assim espaço para questionamentos por parte dos que devem ter juízo, devendo esses aceitarem as péssimas condições de ambientes ainda presentes em muitas instituições por esse imenso país, calando-se na fome da falta de merenda escolar ou ainda curvando-se aos concorrentes das grandes instituições particulares munidas de tecnologia de ponta, salas climatizadas e internet ilimitada nos laboratórios.

 Poucas são as escolas onde a desigualdade social e racial, não atuam, ridicularizando muitos de seus freqüentadores não sendo esses respeitados de maneira honesta e decente, como indivíduos capazes e normais.

 Queremos uma escola única e universal, onde todos tenham direitos e que estes mesmos direitos sejam respeitados e cumpridos, onde o aluno possa agir de forma livre e racional, podendo exercer o seu poder de questionar e filosofar, sem medo de ser julgado e condenado, onde a hierarquia seja descentralizada e todos possam opinar. Onde seja respeitado o querer e o pensar de seus alunos, não sendo mais imposto os conceitos e as “verdades”, estas por vezes desveladas por suas inverdades. Onde seja apresentado de forma transparente aos alunos o verdadeiro sentido de tudo que lhe é passado, sem máculas e sem véus. Onde possa ser quebrado tabus e normas, criando assim uma escola capaz de melhorar seus educandos e não fabricá-los de acordo as suas necessidades



Fonte: luciodiaenoite



Compartilhe essa notícia



Comentários ( 0 )

Notícia sem comentários.
Faça seu comentário agora.
 

Site Lucio Dia e Noiter já teve 646462 Acessos
Sua empresa ainda não tem site? clique aqui
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<
<